Senado aprova regras de busca e apreensão em escritórios de advocacia

Senadores concluíram na noite desta quarta-feira, a votação do projeto que define novas regras para a busca e apreensão em escritórios de advocacia em operações policiais. A proposta já passou pela Câmara e segue agora para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Em linhas gerais, a proposta proíbe que medida judicial viole escritório ou o local de trabalho do advogado se a denúncia for baseada em acordo de delação premiada, sem confirmação por outros meios de prova. Pelo texto, um representante da OAB deverá acompanhar a busca e apreensão, além do próprio advogado proprietário do escritório que está sendo investigado. Esse representante poderá, por exemplo, impedir que documentos, mídias e objetos não relacionados à investigação sejam analisados. 

O relator da matéria, senador Weverton, do PDT do Maranhão, afirmou que a proposta fortalece as prerrogativas dos advogados.

Conforme o projeto, a autoridade responsável deverá informar à seccional da OAB, com antecedência mínima de 24 horas, a data, o horário e o local em que serão analisados os documentos e os equipamentos apreendidos. 

O projeto também proíbe o advogado de fazer delação premiada contra clientes e ex-clientes.

Edição: Roberto Piza / Beatriz Arcoverde

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.