Semana de Compostagem traz alerta sobre tratamento de resíduos

Cada brasileiro produz, em média, mais de um quilo de resíduos por dia, chegando a 390 quilos por ano. No Brasil, são produzidas mais de 80 milhões de toneladas de resíduos a cada ano. Muitos chamam de lixo, mas além de tudo que pode ser reciclado ou descartado, mais da metade é de resíduo orgânico que tem como voltar em forma de nutrientes para a terra.

E é para falar nesse assunto, que até o próximo sábado (7) ocorre a segunda edição da Semana da Compostagem Brasil. A ideia é orientar, ensinar e tirar dúvidas sobre como reciclar as sobras orgânicas.

A compostagem é um processo que pode ser feito até mesmo em casa, em que os restos de alimentos orgânicos se transformam em adubo. É uma alternativa, aos produtos químicos utilizados em plantações. A engenheira Sanitarista e Ambiental, Paula Moletta, é embaixadora do Instituto Lixo Zero Brasil e explica que o ato de compostar é uma forma de dar destino consciente aos resíduos.

Mais da metade dos resíduos que a gente gera em casa é de lixo orgânico, como restos de comida, cascas de alimentos, borra de café…

Reaproveitar essas sobras ajuda a salvar o planeta dos gases que produzem o efeito estufa e, também, reduz os custos ambientais e financeiros na gestão de aterros sanitários. Nesses locais, a matéria decomposta produz altos níveis de chorume e metano que, ao entrarem no solo, poluem lençóis freáticos e aquíferos subterrâneos. Paula Moletta, do Instituto Lixo Zero Brasil, explica que é um péssimo negócio embalar com plástico, coisas que são biodegradáveis.

É possível compostar em casa, cooperativas ou até mesmo em empresas. Além disso, o poder público pode contribuir com políticas de incentivo. Bons exemplos e dicas sobre como o tema é tratado na próxima reportagem sobre compostagem.

Edição: Paula de Castro (Rádio Nacional) e Luiz Claudio (web)

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.