Pandemia: setor de cultura não consegue recuperar empregos

Bienal do Livro

Aproximadamente 500 mil empregos do setor de cultura perdidos na pandemia não haviam sido recuperados até a metade do ano passado. As restrições impostas pelo novo coronavírus levaram à perda de 900 mil empregos no setor ainda em 2020, queda de 16% em relação ao total de trabalhadores empregados na área cultural no final de 2019.  

Porém, em 2021, 340 mil vagas foram criadas e o setor chegou ao final do primeiro semestre do ano passado com um total de 5 milhões de trabalhadores empregados.

O número de 2021, apesar de superar o de 2020, ainda está 9% abaixo de 2019, quando mais de 5,6 milhões pessoas estavam empregadas direta ou indiretamente com atividades culturais.  

Os dados foram sintetizados em um estudo do IPEA, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, a PNDA Contínua.

O pesquisador do IPEA, Geraldo Góes, observa que nem todas as atividades culturais conseguiram se adaptar à realidade pandêmica.  

O setor cultural é hoje responsável por 5,7% do total da força de trabalho ocupada no país e chega a representar 2,7% do PIB brasileiro. Segundo o estudo, as variações no nível de empregos deste setor foram maiores que no conjunto da economia.

Edição: Nádia Faggiani / GT Passos

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.