Funcionários da Toyota suspendem greve e empresa fará negociação

A montadora japonesa Toyota vai ter que criar uma mesa de negociação para discutir o futuro da fábrica em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. A decisão é resultado de uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho e atende a um pedido feito pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

No dia 5 de abril, a montadora anunciou que ia encerrar as atividades em São Bernardo até o final do ano que vem. A fábrica tem 60 anos e é a primeira planta da empresa fora do Japão. A decisão de fechar as portas ameaça o trabalho de 600 pessoas. Mas segundo a Toyota, os trabalhadores que aceitarem a transferência para outras fábricas da empresa no interior de São Paulo vão ter os empregos garantidos. A montadora tem plantas em Sorocaba, Indaiatuba e Porto Feliz.

Um dia depois do anúncio, os funcionários entraram em greve e passaram a fazer uma vigília em frente a fábrica. Com a possibilidade de negociação, os trabalhadores decidiram em assembleia nesta, segunda-feira, a suspender a greve e retomar os trabalhos.

Também aconteceu uma reunião com representantes do governo do estado, do sindicato, da prefeitura de São Bernardo e a direção da Toyota; Foi acordada a criação de um grupo de trabalho para discutir a viabilidade da permanência da empresa na cidade.

Em 2019, uma outra montadora, a Ford, fechou a fábrica em São Bernardo e transferiu suas atividades na América Latina para uma nova planta na Argentina.

Edição: Roberto Piza (Rádio Nacional) e Luiz Claudio (web)

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.