FGV aponta desaceleração da cesta de Páscoa deste ano

Pesquisa da Fundação Getulio Vargas revela que os itens mais consumidos na Páscoa tiveram aumento de 3,93% nos últimos 12 meses, bem abaixo da inflação acumulada entre abril de 2021 e março deste ano pelo Índice de Preços ao Consumidor, que foi de 9,18%. O resultado sinaliza também para uma forte desaceleração de preços em comparação ao ano passado, quando a cesta cresceu 25,36%. 

Um dos itens que mais contribuiu para essa queda foi o arroz, que caiu 12,20% na Páscoa deste ano, depois de ter subido mais de 60% nos últimos 12 meses. De acordo com a FGV, se o arroz fosse retirado da cesta, a inflação dos itens de Páscoa seria superior ao IPC-M, alcançando 9,79%.

Entre os produtos que mais subiram estão os hortifruti, proteínas e importados, como couve 21%, batata-inglesa 18%, sardinha em conserva 16%, azeite 15%, azeitona em conserva 14%. Um dos itens mais consumidos no período, o bacalhau subiu 11,5%.

Os pesquisadores alertam que o consumidor deve ficar atento em relação aos preços praticados nesta semana da Páscoa. Além do aumento já registrado de 8,33% do pescado fresco e 9,89% dos tradicionais ovos, os preços desses itens podem subir ainda mais, devido à pressão da demanda às vésperas da Semana Santa.

* Com informações da Agência Brasil.

Edição: Bianca Paiva/ Renata Batista

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.