Aluguel Social será de R$ 1 mil para quem perdeu a casa em Petrópolis

Bombeiros se equilibram sobre a lama acumulada na Rua Teresa, em trabalho de busca nos deslizamentos de terra das chuvas em Petrópolis.

A tragédia provocada pelas chuvas da última semana em Petrópolis, na região serrana do Estado do Rio, já ultrapassou a maior catástrofe da idade, registrada em 1988, quando os temporais causaram a morte de 171 pessoas. No ano passado, apenas uma morte foi contabilizada em decorrência das chuvas.

O Corpo de Bombeiros do Estado vem trabalhando 24 horas por dia nas operações de busca e resgate de vítimas desde a tarde de terça-feira (15), quando o forte temporal atingiu a cidade. Ainda há mais de 100 pessoas desaparecidos.

O comandante-geral da corporação, Leandro Monteiro, defendeu nesta segunda-feira o trabalho que os militares e o estado vêm realizando desde as primeiras horas da tragédia.

O governador do Estado, Claudio Castro (PL), se reuniu na segunda-feira (21) em Petrópolis com a Defensoria Pública e representantes do Judiciário para ouvir e alinhar demandas e sugestões para as ações da força-tarefa.

Castro afirmou que está buscando parcerias para viabilizar melhores condições do Aluguel Social para as pessoas que perderam suas casas. A defensoria também colocou a necessidade de um mapeamento das áreas críticas para identificação das regiões que ainda se encontram sob risco por causa das chuvas que continuam na cidade. 

O prefeito Rubens Bontempo que participou da reunião anunciou no fim da da noite que a prefeitura vai contribuir com R$ 200 no valor do benefício pago pelo estado, que segundo ele, vai aumentar de R$ 500 para R$ 800. Com o acréscimo da prefeitura, o valor passa a ser de R$ 1.000. Atualmente, mais de 850 desabrigados estão em pontos de apoio montados pela prefeitura. 

O município se mantém em Estágio Operacional de Crise, tendo em vista os acumulados de chuva desde a última terça-feira (15) e o elevado número de ocorrências registradas que já chegam a quase 1400.

Na noite de segunda-feira (21), foi realizada uma missa de sétimo dia pelas vítimas da tragédia em Petrópolis, presidida pelo bispo da cidade, Dom Gregório Paixão, na igreja Santo Antônio. A cerimônia foi transmitida no canal do YouTube da paroquia e acompanhada ao vivo por mais de 700 pessoas. Todas as outras igrejas da Diocese de Petrópolis também realizaram a missa em memória das mais de 180 vítimas.

Edição: Roberto Marques Piza / Guilherme Strozi

Fonte: Rádio Agência Nacional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.